Homem acusado de matar ex-mulher com barra de ferro vai a júri popular nesta sexta em São Mateus do Sul

Homem acusado de matar ex-mulher com barra de ferro vai a júri popular nesta sexta em São Mateus do Sul

Maio 20, 2021 0 Por ClicSulNews

O júri popular de Alisson Ferraz Barbosa, de 24 anos, que é acusado pela morte da jovem Elza Ribeiro Micharski, de 22 anos, vai acontecer nesta sexta-feira (21), em São Mateus do Sul, a cerca de 140 km de Curitiba. Em 2019, Elza foi morta com golpes de barra de ferro e, em seguida, atropelada várias vezes.
Segundo a Polícia Civil, Elza e Alisson foram casados por sete anos e o rapaz não aceitava o fim do relacionamento, o que teria motivado o crime. Em depoimento, o acusado admitiu o crime e afirmou que estava com “raiva”.
O advogado da família de Elza e assistente de acusação no processo, Igor José Ogar, disse à Banda B por meio de nota que espera a condenação do acusado com “pena proporcional à barbárie por ele cometida”. “Após mais de dois anos, a assistência à acusação espera que a justiça seja feita, imputando-se ao acusado pena proporcional à barbárie por ele cometida e ao sofrimento que ocasionou à família da vítima que até hoje encontra-se enlutada enfrentando diariamente a falta de sua ente querida e amada”, escreveu o advogado.
Antes do crime, Elza já havia obtido medidas protetivas contra Alisson, o que não foi suficiente para evitar o crime. Em depoimento, Alisson confirmou que passou com o carro duas vezes por cima da cabeça da vítima.
O crime aconteceu em maio de 2019, na Praça do Olho, no centro de São Mateus do Sul. Elza sofreu lesões na cabeça, no abdômen e não resistiu aos ferimentos. Alisson foi preso em flagrante, logo em seguida, na casa dos pais.
Leia a nota do advogado Igor José Ogar na íntegra:
“Na próxima sexta feira, dia 21 de maio de 2021 irá a julgamento ALISSON FERRAZ BARBOSA, pelo brutal crime de feminicídio que cometeu contra sua ex ELZA RIBEIRO MICHASRKI em São Mateus do Sul no dia 05/05/2019.Mais de 02 (dois) anos após os fatos, ALISSON irá a julgamento por crime de FEMINICÍDIO.No dia dos fatos o acusado aproximou-se da vítima e lhe desferiu vários golpes com barras de ferro na cabeça e quando a vítima já estava ao solo, passou com seu veículo sobre o corpo da vítima dando ré e passando novamente por cima dela gritando “morre desgraçada”. Preso em flagrante, assumiu na delegacia que já carregava consigo a barra de ferro no carro com a intenção de atentar contra a vítima.Encerrado o inquérito policial, o Ministério Público apresentou acusação formal imputando a ALISSON o crime de homicídio qualificado por motivação torpe, meio cruel, recurso que dificultou a defesa da vítima e por ser cometido contra a mulher em razão de violência doméstica e familiar (feminicídio) e em violação a medida protetiva anteriormente fixada contra ele (art. 121, §2º, incisos I, III, IV, VI e §2º-A, inciso I e §7º,inciso IV todos do Código Penal). Ao final do processo restou bem demonstrada a ocorrência de todas as qualificadores, sendo proferida decisão submetendo ALISSON a julgamento pelo Júri Popular que ocorrerá na próxima sexta feira.O caso tornou-se público pela crueldade como o crime foi cometido e em razão especial de tratar-se de crime cometido por ex companheiro contra vítima que por inúmeras vezes procurou a polícia para noticiar ameaças e inclusive agressões, sendo negligenciada pelo poder público e ate mesmo alvo tratada com risos e brincadeiras na delegacia de polícia que procurou para noticiar os fatos. O acusado responde a outros processos por violência doméstica contra a mesma vítima.Após mais de 02 (dois) anos a assistência à acusação espera que a justiça seja feita, imputando-se ao acusado pena proporcional à barbárie por ele cometida e ao sofrimento que ocasionou à família da vítima que até hoje encontra-se enlutada enfrentando diariamente a falta de sua ente querida e amada.”
Fonte e texto da Matéria Banda B